05 de janeiro de 2018 às 11:38

Apenas 3 deputados da bancada evangélica foram a todas as sessões em 2017

Dentre os 513 congressistas, apenas 18 não faltaram nenhuma vez

O site Congresso em Foco faz, há 15 anos, um levantamento de assiduidade parlamentar. Ele leva em consideração a presença em todas as sessões deliberativas ao longo do ano. Segundo a Constituição, o parlamentar só é obrigado a registrar presença nas sessões ordinárias, realizadas às terças, quartas e quintas. Os faltosos podem apresentar justificativas, seja um atestado médico, ou comprovante que estava em missão oficial ou partidária. Somente desse modo abonam a ausência.

Ao longo de 2017, apenas 18 dos 513 deputados federais (3,5% do total) compareceram a todos os 119 dias reservados a votação, quando a presença é obrigatória. Dentre os evangélicos, somente 3 tiveram 100% de presença:  Sóstenes Cavalcante, (Assembleia de Deus Vitória em Cristo), Lincon Portela (Igreja Batista) e Carlos Manato (Igreja Maranata).

Embora não seja o elemento mais importante numa avaliação de atividade parlamentar, a presença às sessões indica o compromisso com o palco mais importante de sua atuação, o plenário.

O campeão de assiduidade do Congresso é Carlos Manato (SD-ES). Desde setembro de 2005, ele esteve em todas as sessões deliberativas realizadas pela Câmara. Nos últimos 12 anos, nenhuma outra falta. “Faço isso em respeito aos meus eleitores. Terça, quarta e quinta minha vida é em Brasília”, garante.

Ele diz que não considera isso uma obrigação. “Obrigação é quando os 513 fazem. Mesmo na obrigação, existem as benesses da lei. Nunca usei a benesse da lei, como faltar por causa de atestado médico ou viagem oficial.”

Do Rio de Janeiro, apenas o deputado federal Sóstenes Cavalcante esteve em todas as sessões.  Ele está em seu primeiro mandato e acredita que isso exige disciplina, mas faz parte das atribuições parlamentares: “A presença é uma obrigação, entretanto devo reconhecer que pela multiplicidade de trabalho no mandato, conseguir ser 100% requer uma disciplina muito grande. Estou simplesmente cumprindo meu dever”.

Para o parlamentar, trata-se de um compromisso com quem o elegeu: “Estou aqui para cumprir em 100% meu mandato; porque o meu eleitor merece dedicação, comprometimento e trabalho ao longo dos 4 anos”.

No outro extremo, entre os que mais faltaram, figura o nome do deputado Edmar Arruda, ligado à Igreja Presbiteriana Independente, de Londrina, Paraná. Ele teve 26 faltas não justificadas e 15 justificadas.

Segundo o site Metrópoles, a média de faltas não justificadas entre os 513 parlamentares em 2017 foi de quatro sessões. Ao todo, eles registraram, juntos, 7.114 ausências para as quais não apresentaram explicações.

Os deputados presentes em todas as sessões de 2017:
Adelson Barreto – PR/SE
Augusto Carvalho – SD/DF
Carlos Manato – SD/ES
Conceição Sampaio – PP/AM
Delegado Edson Moreira – PR/MG
Flavinho – PSB/SP
Ivan Valente – PSOL/SP
Lincoln Portela – PRB/MG
Luiz Couto – PT/PB
Marcio Alvino – PR/SP
Renato Andrade – PP/MG
Sóstenes Cavalcante – DEM/RJ
Tenente Lúcio – PSB/MG
Tiririca – PR/SP
Vaidon Oliveira – Pros/CE
Valmir Assunção – PT/BA
Victor Mendes – PSD/MA
Weliton Prado – Pros/MG

Fonte: GospelPrime

comentários

Estúdio Ao Vivo