27 de janeiro de 2018 às 21:16

Emissário do papa e pastor divergem sobre o capitalismo ter ajudado a sociedade

O cardeal Peter Turkson e o pastor Robert Jeffress deram declarações conflitantes sobre o tema esta semana

O cardeal Peter Turkson, de Gana, era um dos favoritos para substituir Bento 16 na sucessão papal. Com a nomeação de Francisco ele continuou em alta no Vaticano e assumiu a presidência do Dicastério para a Promoção do Desenvolvimento Humano Integral, um superministério da Santa Sé, que resulta da fusão de quatro conselhos pontifícios: Justiça e Paz, Pastoral na Saúde, Pastoral dos Migrantes e Cor Unum.

Durante o Fórum Econômico Mundial em Davos, esta semana, Turkson foi escolhido para levar aos participantes uma mensagem do papa Francisco. A tônica do anúncio foi a defesa de uma sociedade “mais inclusiva”.

De maneira muito sutil, ele criticou a lógica capitalista ao dizer que “os interesses privados e ambição de lucro a todo o custo, parecem favorecer a maior fragmentação e individualismo, em vez de facilitar abordagens mais inclusivas”.

Em entrevista à rede de televisão NBC, uma das mais influentes do mundo, o cardeal deu algumas declarações na sexta-feira (26) ainda mais enfáticas, sugerindo que o capitalismo, de várias maneiras, “falhou em servir bem à sociedade”.

Ele afirmou ainda que “o capitalismo, em si, nunca foi condenado pela igreja. É mais um convite para as pessoas, por livre decisão, exercerem seu senso de responsabilidade e solidariedade para com o resto da humanidade. E se isso fosse feito, seria bom”.

A rede de TV Fox News entrevistou na mesma noite o pastor Robert Jeffress, da Primeira Igreja Batista de Dallas, que tem mais de 10 mil membros. Questionado sobre o tema “capitalismo X cristianismo”, sua abordagem foi bastante diferente.

“[Turkson] disse que o capitalismo não ?serviu bem? a sociedade.  Ele acha que o comunismo serviu bem? Eu posso dizer com certeza que o capitalismo serviu muito bem à Igreja Católica. Serviu muito bem à Igreja Evangélica. O sistema ofereceu bilhões de dólares para que as igrejas fizessem o bem no mundo. E isso nunca aconteceria com o comunismo.”

O apresentador Lou Dobbs, complementou o raciocínio, questionando se o papa não está “ignorando as lições da história”.

Fonte: GospelPrime

comentários

Estúdio Ao Vivo