03 de janeiro de 2018 às 19:11

Líder de templo satânico é preso pela morte de duas crianças no RS

Polícia investiga se vítimas foram mortas como parte de ritual macabro 

Apesar do movimento satanista dizer que suas crenças são “inofensivas” e, muitas vezes, os ateus usarem as imagens de demônios para alegar igualdade de culto, a Polícia Civil do Rio Grande do Sul acaba de mostrar que não é bem assim.

Nesta quarta-feira (3) o líder de um templo satânico e dois seguidores foram presos em um sítio na Região Metropolitana de Porto Alegre. Eles são suspeitos de envolvimento na morte de duas crianças cujos corpos foram encontrados esquartejados, em Novo Hamburgo, a cerca de 40 km da capital. O corpo de uma mulher, provavelmente mãe das crianças também estava enterrado no local.

O delegado Rosalino Seara, diretor regional de polícia do Vale do Sinos, diz que eles confirmaram a existência de um templo onde foi encontrada a imagem de um demônio e, logo abaixo, um crânio dentro de uma bacia com sangue. Os policiais ainda fazem buscas pelos crânios das vítimas, que não estavam junto aos corpos.

Após obter mandados judiciais, na quarta-feira da semana passada (27), os três suspeitos foram presos em uma residência. Em depoimento à polícia, o líder do grupo afirmou ser “mestre e bruxo”, e também realizar rituais e conferências sobre o tema. Disse ainda que possui uma espécie de “pacto com o diabo” que lhe garantiria realizações financeiras e amorosas. Contudo, nega que faça sacrifícios humanos.

A polícia investiga se os rituais eram praticados no templo. O delegado Seara explica que o objetivo é comprovar se, de fato, houve prática de ritual macabro. Por enquanto, os nomes dos suspeitos não serão divulgados pois se tratam de prisões temporárias.

Também não foram reveladas as identidades das crianças mortas. Os exames de DNA confirmam que eles são irmãos, mas filhos de pais diferentes. O menino tinha entre oito e 10 anos de idade, e a menina, entre 10 e 12 anos. Uma das crianças estava alcoolizada.

Até o momento, não há registro oficial sobre o desaparecimento das vítimas e isso reforça a crença que a mãe também esteja morta. A polícia trabalha com a hipótese que elas possam ser estrangeiras, pois um dos suspeitos é de outro país. Com informações Zero Hora

Fonte: GospelPrime

comentários

Estúdio Ao Vivo